“Ser profundamente amado por alguém lhe dá forças,
amar alguém profundamente lhe dá coragem.”

JUAREZ, SOLANGE & FILHOS

“Meu nome é Solange, moro em Belo Horizonte, sou casada e possuo uma linda família. Gostaria de compartilhar em algumas palavras uma fase da minha vida que transformou nossa família.
Em 2011, após 14 anos de casada, minha família e eu planejamos ter um novo filho para completar e alegrar ainda mais. Em março do mesmo recebemos a noticia de que estávamos grávidos, mas não imaginávamos como essa experiência seria avassaladora para nossa família. Já no primeiro ultrassom fomos informados que nosso bebê era especial. Foi uma gravidez de alto risco acompanhada por médicos especialistas. Minha filha nasceu no final do mesmo ano com Síndrome de Turner e, em maio de 2012, faleceu devido a várias complicações ocasionadas pela doença. Foi um dos períodos mais tristes de nossas vidas.
Apesar disso, no ano seguinte, em 2012, fui convidada por uma amiga a participar do projeto de apadrinhamento afetivo, do CEVAM. Por meio do Programa Com Viver, nos vimos diante da oportunidade de fazer algo diferente e bom: proporcionar a felicidade à uma criança e trazer muita alegria para nosso lar! Foi um encontro muito marcante! Não fizemos opções por idade ou sexo e foi assim que Rian entrou em nossas vidas. No primeiro encontro ficamos encantados com Rian, que é um menino muito extrovertido, falante e alegre!
Vivemos várias experiências marcantes nesse processo. Lembro-me da alegria do Rian e de todas as crianças que viviam no abrigo, quando chegávamos lá. Todas elas queriam abraços, brincar e o nosso carinho. No abrigo, as crianças são muito bem cuidadas, mas infelizmente sentem falta de conviver em família.  Meu garoto passou por dois processos de adoção frustrados, e foi aí, que a diretora do abrigo nos contatou e perguntou se tínhamos a intenção de adotá-lo. Bem… foi uma surpresa para mim, mas em família decidimos e aceitamos com muita alegria!
A maior dificuldade que experimentamos no processo de adoção foi a necessidade e a importância de aprender a conviver com uma criança que chegou com seis anos de idade em nossa família. Uma criança com formação e criação totalmente diferente de nossa família. Não foi fácil e os desafios continuam, mas apesar disso Rian é muito amado por nossos familiares e amigos!.Todos os dias temos aprendido a amá-lo ainda mais, pois aprendi que nessa vida não importa só seu filho ter saúde, mas sim ele ser seu filho, independente do gênero, religião, sangue ou qualquer argumento que limite o amor. O amor a um filho é incondicional e supera todos os desafios. Recebo com todo meu amor e carinho meu filho Rian, que me ensina todos os dias o exercício de amar!”
(Texto escrito pela ex-madrinha, e, agora mãe, Solange)

Depoimentos dos demais membros família da Solange:

“Nos anos de convivência com o Rian, não foram somente flores, mas o beneficio trazido para nossas vidas supera tudo. Para mim, filho é muito mais do que sangue, te amo, Filho!’” (Juarez, pai do Rian)

“Quando eu era pequeno, fui tirado da minha família porque minha mãe bebia muito e não tinha condições de me cuidar. Fui para o abrigo e não gostava de morar no abrigo, mas agradeço por terem cuidado de mim, porque lá também tive a oportunidade de conhecer minha nova família através do apadrinhamento. Eu era muito levado, dava trabalho na escola, mas nunca fui de brigar. Quando eram meus padrinhos, já me ajudavam na educação, e hoje agradeço à Deus por serem meus pais e também por ter uma irmã. Amo muito a minha família!” (Rian)

“A chegada do Rian em nossas vidas foi muito turbulenta, porque ele vivia em um ritmo diferente do que estávamos acostumados a viver, mas hoje sou grata à Deus por tê-lo enviando para completar nossas vidas! Ele é a peça que faltava, meu irmão!” (Ingredy, irmã do Rian)

MARIA JOSÉ & FAMÍLIA

“O Pablo uniu nossa família. Todo mundo passou a se sentar à mesa, a conversar mais. Ser mãe é muito bom! Hoje me sinto a pessoa mais feliz do mundo. O único problema com filho é na hora de repreender. Mas eu chamo a atenção, vou à escola se o professor pede, enfim, eu faço tudo. Todos meus parentes, vizinhos e amigos gostam muito do Pablo! Agora é uma alegria só, a família toda reunida… com visitas constantes de outros irmãos, sobrinhos e primos. Se lhe demos um lar, ele nos trouxe a felicidade!” (Maria José, atualmente, mãe do Pablo e sua irmã Maria Emília).

HELTON & IRENE

“É com muita alegria e satisfação que eu venho falar sobre o Apadrinhamento Afetivo! O Apadrinhamento, para mim, foi um presente divino, pois por meio dele, posso participar e contribuir para a construção e desenvolvimento de uma vida. É gratificante ver o olhar de encantamento e esperança das crianças com as oportunidades que podemos oferecer à elas por meio do Programa (viagens, idas a restaurantes, brincadeiras, momentos juntos aos finais de semana). O Programa Com Viver, trouxe somente alegrias para a minha família! Agradeço à toda equipe do CEVAM pela oportunidade de dividir e multiplicar minha vida e da Mirella!” (Irene madrinha da Mirella)